Tudo o que você precisa saber para adaptar um peixe ao novo aquário - Pet é pop
  • Tudo o que você precisa saber para adaptar um peixe ao novo aquário

    Um dos piores momentos para um peixe recém-adquirido é aquele em que o animal entra em um novo ambiente totalmente desconhecido. Por isso, é preciso ter o máximo de cautela e paciência para que o peixe seja introduzido ao aquário com o mínimo de estresse.

    Algumas pessoas ainda utilizam um método popularmente conhecido: deixar o peixe dentro da embalagem, flutuando no aquário para igualar as temperaturas. Porém o maior estresse não se refere à temperatura, mas sim alguns danos fisiológicos para o peixe.

    Por serem animais de sangue “frio” (alguns podem produzir calor), os peixes podem se adaptar a certas variações de temperatura. Muito mais cruciais na hora da adaptação são alguns fatores físicos – químicos como pH, oxigênio e outros.

    Ao colocar a embalagem flutuando, alguns tendem a prender a boca do saco na abertura da tampa do aquário para que o saco não afunde. Em relação a isso devemos perceber que as trocas gasosas, principalmente a oxigenação, foram obstruídas, e assim o peixe fica sem uma oxigenação ideal em média por 10 minutos.

    Para piorar a situação, o peixe que esta preso na embalagem, ao olhar o novo ambiente, entra em estado de agitação, aumentando seu metabolismo e requerendo mais oxigênio. Com certeza, não é a melhor maneira de adaptar um peixe ao aquário.

    O melhor modo é realizar pequenas trocas de água entre o aquário e a água da embalagem. Para realizar essa tarefa, é necessário passar o peixe com a água de embalagem para algum recipiente aberto e escuro. Após colocar o peixe no recipiente, devemos retirar 1/3 da água e jogar fora.

    Feito isso é necessário pegar o mesmo volume de água do aquário e colocar no recipiente. Aguarde por 5 minutos e repita a operação até que a água do recipiente se torne igual a água do aquário.

    Por fim, coloque o peixe vagarosamente no aquário que deverá permanecer com as luzes apagadas por ao menos 3 a 4 horas.

    Com informações da Associação Brasileira de Aquariofilia (Abraqua)

  • Back to top